Universidade se manifesta após jovem ser detido por ato obsceno em Chapecó

A Universidade Comunitária da Região de Chapecó (Unochapecó) se manifestou na manhã desta terça-feira (12), por meio de uma nota de esclarecimento, após um jovem ser detido por ato obsceno dentro da instituição de ensino. O caso foi registrado na noite desta segunda-feira (11), em Chapecó (confira a nota mais abaixo).


De acordo com a nota, o jovem é estudante da Universidade e adentro uma unidade de atendimento da instituição com o estado psicológico e comportamental visivelmente alterado.

NOTA DE ESCLARECIMENTO

A Reitoria da Universidade Comunitária da Região de Chapecó (Unochapecó) informa que na noite de 11 de abril um jovem estudante da Unochapecó, adentrou em uma unidade de atendimento da instituição com o estado psicológico e comportamental visivelmente alterado.

Em uma ação rápida, os seguranças da Universidade, juntamente com o apoio dos Bombeiros, Guarda Municipal e Polícia Militar foram acionados para atender a ocorrência. Cabe ressaltar que casos desta natureza são assistidos pelo Núcleo de Apoio Psicológico e Pedagógico Institucional (NAPI). Nos solidarizamos com o estudante e sua família e entendemos que as manifestações públicas devem ser comedidas e responsáveis, visando a preservação da identidade do envolvido. A família e o estudante estão sendo acompanhados e a Universidade prestará o acolhimento e toda a assistência necessária.

Relembre o caso:


De acordo com informações da Polícia Militar (PM), os policiais foram acionados por volta das 20 horas, e no local encontraram o jovem dentro de um banheiro na presença de dois guardas municipais e um bombeiro civil. O homem estava sentado no chão, apenas com a roupa íntima e com as calças abaixadas. A Universidade ressaltou que que o jovem estava com o cinto solto e a calça caiu. Mas não estava estava nu ou fazendo gestos obscenos.


As guarnições também informaram que em conversa com os seguranças e demais populares, foi relatado que o suspeito também abaixou a roupa dentro uma sala onde encontravam-se outras pessoas. Os policiais constataram que ele estava totalmente “fora de si” e não conseguia responder as perguntas.


A Polícia Militar saiu do ambiente em busca de relatos de testemunhas, momento em que o homem começou a recobrar a consciência e tentou agredir um guarda municipal que ficou no banheiro para dar suporte. Os policiais então o algemaram para garantir a integridade física do envolvido e de todos os presentes.


Por conta da situação, o jovem foi conduzido para a delegacia de polícia civil, já que recusou a assinatura do Termo de Comparecimento.


Fonte:Clicrdc