Mulher acusada de dopar e matar marido incinerado é absolvida no RS

Atualizado: 29 de abr.

Elizamar de Moura Alves, acusada de sedar e incinerar o próprio companheiro, dentro de uma fornalha, em Dom Feliciano, no Rio Grande do Sul, foi absolvida, nesta quarta-feira (27), pelo Tribunal do Júri da Comarca de Camaquã, na Região Sul do Estado. O julgamento terminou durante a noite, após 13 horas.


Relembre o caso:

De acordo com informações do Tribunal de Justiça, Elizamar estava presa preventivamente, ela respondeu pela prática dos crimes de homicídio duplamente qualificado, ocultação de cadáver e falsidade ideológica, mas após a sentença, o juiz expediu o alvará de soltura. O crime aconteceu em 15 de fevereiro do ano passado, na localidade de Colônia Nova, no interior de Dom Feliciano, onde o casal morava. De acordo com o Ministério Público, Elizamar diluiu dois comprimidos do medicamento Diazepam no suco de laranja dele. Desacordado, o homem foi colocado dentro da fornalha que fica na estufa de fumo da família. O corpo ficou queimando no local durante três dias.

Os advogados da mulher defenderam a absolvição dela. Argumentaram que a ré era vítima de violência doméstica e que agiu em legítima defesa da própria vida e dos filhos.


Em plenário, foram ouvidas três testemunhas de acusação e três de defesa.




Fonte/foto: ClicRDC