Matriz de Risco Potencial Regionalizado aponta todas as 17 Regiões de Saúde no nível moderado (azul)

A matriz de risco potencial regionalizado divulgada neste sábado, 02, aponta todas as 17 regiões de saúde classificadas no nível Moderado (cor azul): Alto Uruguai Catarinense, Alto Vale do Itajaí, Alto Vale do Rio do Peixe, Carbonífera, Extremo Oeste, Extremo Sul Catarinense, Foz do Rio Itajaí, Grande Florianópolis, Laguna, Médio Vale do Itajaí, Meio Oeste, Nordeste, Oeste, Planalto Norte, Serra Catarinense, Vale do Itapocu e Xanxerê.

Em um comparativo com o relatório divulgado na semana anterior, houve apenas uma mudança a partir da melhora nos indicadores da região Nordeste que estava classificada no nível Alto (amarelo) e passou a ser classificada no nível Moderado (azul).

Queda no número de hospitalizações e mortes em relação ao número de casos tem relação direta com o avanço da vacinação contra a Covid-19 em Santa Catarina.

Até o dia 01 de abril de 2022 foram confirmados 1.677.565 casos de Covid-19 em Santa Catarina. Desse total, 535.454 casos (32%) foram registrados em 2020, 728.986 casos (43%) em 2021 e 413.125 casos (25%) em 2022.

Apesar dos primeiros meses de 2022 representarem ¼ do total de casos de Covid-19 desde o início da pandemia, o número de casos graves, representados pelas hospitalizações por Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG) e os óbitos, representados pelas taxas de mortalidade e letalidade são menores do que as registradas nos anos de 2020 e 2021.

Além disso, é importante alertar a população a partir dos 18 anos para a importância de retornar aos postos de vacinação para receber a dose de reforço, que deve ser aplicada após 4 meses da segunda dose, para aumentar o nível de proteção contra formas graves da Covid-19. Pouco mais de 41,3% da população acima de 18 anos e 74,3% dos idosos já receberam a dose de reforço.


Na sexta-feira(01) São Carlos apresentava 4 casos ativos e 11 casos monitorados, o município também conta com mais de 20 mil doses aplicadas, o setor de saúde segue salientando a importância das doses de reforço que estão no momento com prazo de 4 meses de intervalo.


Fonte: Governo de Santa Catarina,