Delegado comenta prisão de argentino que matou bebe de 4 meses após estupro no Extremo oeste

As Polícia Civil e Militar prenderam na noite do dia 30/04/2022 argentino de 19 anos causador de estupro e morte da própria filha, um bebê de 4 meses de idade. O Delegado Lucas Almeida, responsável pelo plantão na ocasião, relata que a denuncia chegou do hospital de Dionísio Cerqueira, pois uma funcionária do hospital teria revelado que uma família de argentinos, da Cidade de Poço Azul, Argentina, teria levado uma bebê para atendimento médico no hospital, após ter passado por uma farmácia, e ela acabou falecendo decorrente da evolução do quadro de saúde após sucessivos estupros. Almeida esclarece que tanto o pai, a mãe, e a avó da criança falavam que não sabiam o que tinha acontecido, mas, em depoimento, a mãe da criança, menor de 15 anos, esclareceu que ficou sabendo dos estupros desde o dia 28/04, e que no próprio dia 30/04, botou sangramento em um momento que o pai ficou a sós com o bebê. A mãe da criança também revelou que eles não procuraram atendimento na Argentina porque achavam que no Brasil não poderiam ser responsabilizados. O Delegado ainda esclarece que foram coletadas roupas do suspeito e material genético do suspeito para perícia de confronto genético com o matéria a ser coletado do bebê. Por fim, o Delegado Lucas Almeida confessa que nunca viu em toda carreira um crime tão bárbaro quanto esse, e a gravidade das lesões verificadas. Acresenta ainda que pelo estado do corpo do bebê, ficou claro que houve lesões gravíssimas no ânus e vagina da criança, além de indícios de sexo oral.



Confira abaixo a fala do Delegado Responsável:


Fonte: PC