BIBLIOTECA INICIA AÇÕES DE INTERSETORIALIDADE COM OUTRAS PASTAS DO MUNICÍPIO

Ações integradas, pensadas em conjunto, com o objetivo de oferecer o melhor ao munícipe são-carlense é o novo projeto abraçado pela Biblioteca Municipal de São Carlos, que deixa de ser um espaço isolado e passa a ser um lugar compartilhado.

A Intersetorialidade é a forma de gestão inteligente, que permite fortalecer laços com outros setores do município, para, juntos, dialogarem e somarem esforços em ações coletivas. Foi o caso da ação contra a dengue, que reuniu 145 estudantes do Pré I e II, dos turnos matutino e vespertino, do Centro Educacional Municipal (CEIM) Criança Feliz, realizada na terça-feira, 13, nas dependências da Biblioteca.

A ideia de levá-los à Biblioteca surgiu da diretora Simone Veivenberg e das professoras do Ensino Infantil, Cristiele e Alice Brutscher, Jaqueline Schumacher, Valdézia Kistemacher, Michele Ruschel, Eloir Boita e Daiane Riva.

Valdézia Kistemacher, entusiasta da Pedagogia em diferentes espaços, acredita que o ensino extramuros facilita o entendimento dos conteúdos, pois fora da sala de aula, o aluno é estimulado a levantar hipóteses e a fazer descobertas. “Para mim, possibilitar essas vivências e experiências no cotidiano das crianças é proporcionar novas descobertas e novos aprendizados. É preciso sair da sala de aula e explorar novos conhecimentos, isso se chama ‘desemparedamento’ infantil. Ensinar não se resume a uma folha de papel, a educação infantil tem infinitas possibilidades”, explicou a professora.

Para enriquecer a programação, a Biblioteca fez uma parceria com o coordenador do Setor de Endemias, Fábio Castelani, que promoveu uma palestra, seguida de uma roda de conversa com os alunos. Os alunos, de faixa etária entre 4 e 5 anos, já haviam aprendido sobre o consumo consciente da água no mês de março, agora ficaram cientes de que água parada é um criadouro perigoso para o mosquito da dengue. Após assistirem a um vídeo sobre o tema, participaram da palestra e foram encaminhados, em pequenos grupos, para a mesa das amostras, local em que, com a orientação de Castelani, puderam identificar o mosquito Aedes aegypti, popularmente conhecido como o “mosquito da dengue”, em suas várias fases (ovo, larva, pupa e mosquito).

“Estamos usando de atividades lúdicas para ensinar sobre Saúde Pública. De forma descontraída, as crianças aprenderam a identificar o vetor da dengue, a eliminar os criadouros e, assim, evitar uma epidemia”, resumiu Fábio Castelani.

A ação mostrou que, quando bem articulados, os setores podem gerar resultados mais positivos do que quando atuam de forma isolada. As crianças saíram do espaço como grandes engajadoras na luta contra o mosquito. “Foi um momento muito importante sobre os cuidados que devemos ter e fazer. A visita à biblioteca foi muito legal, ‘muito top’, como as crianças falaram, elas gostaram muito e, com toda certeza, irão compartilhar com suas famílias o que aprenderam. Muito obrigada, Ana, da Biblioteca e Fábio Castelani, pela parceria e por ter aceitado nosso convite. Fábio, você de uma forma lúdica explicou muito bem para nossas crianças sobre os cuidados necessários, deixou muitas dicas e compartilhou novos aprendizados. As crianças aprenderam direitinho sobre o mosquitinho transmissor da doença e o quão perigoso é o vírus da dengue”, agradeceu Valdézia.

Fonte: Prefeitura Municipal de São Carlos